On Writing Well (parte 2)

Oi, pessoal!

Vamos para segunda parte do post sobre o livro. Caso tenha perdido a primeira click aqui .

Agora sim, os princípios da escrita para ser um bom escritor (segundo o autor William Zinsser).

Estes princípios como dito antes devem ser buscados, não é uma coisa automática que você adquire da noite para o dia ou do dia para noite. =D

São 6 princípios:

    1. Simplicidade;
    1. Confusão;
    1. Estilo;
    1. Audiência;
    1. Palavras;
    1. Uso. Bom, o resumo é conforme meu entendimento. Certamente, outro leitor pode resumir diferente.

#Simplicidade

No primeiro manuscrito do livro o autor re-escreveu cada página quatro ou cinco vezes. Em cada re-escrita ele tentou fazer com que as sentenças ficassem mais simples, mais forte e mais precisas, eliminando todos elementos que não seriam úteis para o trabalho.

Aqui a regra é clara. Simplifique. Simplifique.

Mas, simplificar dá trabalho.

Pois é, escrever é um trabalho difícil. Uma sentença clara não é um acidente. Poucas sentenças estão corretas ou simples na primeira vez ou na terceira vez.

Lembre-se disso no momento de desespero: Se você acha que escrever é difícil, é porque isto é difícil.

E como tornar as coisas mais simples? Primeiramente, há que se reconhecer que desordem é a doença dos escritores. É uma luta tentar colocar aquilo que está na cabeça no papel.

  • Dica: Escritores devem se perguntar constantemente: O que eu estou tentando dizer? O que eu devo dizer?

    Surpreendentemente eles quase não sabem.

Os melhores escritores são aqueles que pensam claramente. Isto não é uma virtude ou um dom. Deve ser aprimorado e forçado a si próprio. Quer ser simples? Então, seja lúcido! Tenhas as ideias organizadas na cabeça.

#Confusão

Examine cada palavra que você colocar no texto. Você ficará surpreso com o número que estão sem propósito, gerando confusão ao leitor.

Eufemismo, frases vagas, camuflagem de sentidos, tudo isso pode ser definido como confusão.

Exemplo:

“A partir deste momento…” poderá ser substituído simplesmente por:

“Agora..” Porém, cuidado! Leia a sentença e veja se isto funciona e pode mesmo ser expressado mais economicamente. Na dúvida, simplifique. Simplifique.

#Estilo

Você pode estar se perguntando: Mas, se eu eliminar tudo do meu texto ele pode ficar parecendo um tuíte? Este não é o seu objetivo. Você pode ser simples e ter estilo ao mesmo tempo. A simplicidade carrega o seu estilo.

Estilo não tem nada a ver com o estilo da história que você que escrever.

Estilo é orgânico. O estilo vem de si próprio. Não deve ser copiado. Você ficará impaciente para achar um estilo. Mas, ele vem com a prática e com o tempo.

  • A regra fundamental é: seja você mesmo.

Escrita é uma comunicação entre duas pessoas. A pessoa que está lendo vai reconhecer você como alguém especial e único. Tentar adicionar estilo é errado. Não entendo muito de moda, mas deve ser da mesma forma.

Para conseguir seu estilo você deve seguir duas orientações: relaxar e ter confiança.

Vamos assumir que você está sentando para escrever.

Você fica pensando e se perguntando:

  • Meu texto deve ter um monte de páginas, ou não irá parecer importante…
  • Como ficará meu texto depois de impresso?
  • Como e quem são as pessoas que irão ler?
  • Estou tão ocupado pensando na responsabilidade de terminar o texto que ainda nem comecei…
  • Qual o tamanho das frases do texto que deve usar? Relaxe! Escreva para si próprio. Se você conhece o assunto, sabe o que está falando e, se depois de escrever achar que está bom é porque está bom mesmo. Escrever é uma ação do ego e por bem você deve admitir isso.

#Audiência

Primeira pergunta a se fazer aqui é:

  • Para quem estou escrevendo? E a resposta é:

  • Você está escrevendo para si próprio. Não tente visualizar uma grande massa de audiência. Cada pessoa irá ler da sua forma e interpretar do seu jeito.

#Palavras

Use um dicionário. Use um dicionário de sinônimos.

Lembre-se que palavras são ferramentas que você já tem. Aprenda como usar com originalidade e cuidado. E também lembre-se: alguém lá fora está escutando.

Todo idioma tem palavras parecidas. Qual a diferença de sereno para tranquilo? Talvez o peso emocional. Uma suave e outra proveniente de um estado pertubador.

Tenha o hábito de usar dicionários.

#Uso

Por fim, este é uma continuação do princípio anterior. Aqui a motivação é a precisão da linguagem. A gramática. O uso incorreto de algumas palavras podem influenciar na leitura dos seus leitores.

Exemplo: Compreende pode significar entendimento de algo, ou abrangência de alguma coisa.

  • “A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende.”
  • “Salada compreende tomate, alface e pepino”. O capítulo trata de muitas outras palavras do Inglês.

Trata também dos “jargões” que são palavras “pomposas” que soam mais importantes. Por exemplo: “priorizar”. Evite.

Uma dica aqui é procurar usar boas palavras para expressar-se claramente para outras pessoas, considerando que sua audiência irá entender.

Estes foram os princípios do livro On Writing Well. Espero que tenham sido úteis!

Em tempo, lembre-se: Ser simples não é simples. Contudo, você aprenderá a escrever escrevendo e, lendo! Pois é! Escrever é aprender por imitação. Lendo o que outros escritores escreveram você irá pegar o melhor de cada um e terá seu próprio estilo. Leia muito!

Agora com estes princípios estou mais crítico e sei que estes dois posts podem ser melhor escritos. Por isso, devo voltar aqui e editá-los para procurar melhorar a minha escrita. Caso você já tenha alguma sugestão me deixe um comentário.

Agradeço desde já. Obrigado e volte sempre!